segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

[Resenha] Turma da Mônica Jovem #1 - Te Amo Para Sempre!

É, gente, parece que o blog voltou, e veio pra ficar! :D Hoje venho com a resenha da primeira edição da segunda série de Turma da Mônica Jovem, Te Amo Para Sempre!, de roteiro de Flávio Teixeira de Jesus.

[E, sim, vai ter spoiler, então se você ainda não leu a edição, é melhor ler antes de conferir o post ;)]

Bem, a edição #1 já começou a nova fase da TMJ super bem! E se o que fazemos no primeiro dia do ano fazemos o ano inteiro, o que fazemos na primeira edição da 2ª fase de TMJ fazemos na fase inteira! Então, nada mais justo que fazer uma história maravilhosa para a edição 1.

Sério mesmo, o Flávio mandou muito bem nessa história! Todos os momentos cebônicos (ou seja, a edição toda) foram muito fofos e muito bem escritos! Lendo essa edição, eu fiquei pensando: "Por que não juntaram esses dois lá na edição 0?". Sério, concordo com a frase da Mônica na edição 100, foi beeeeem atrasado :v

Uma das únicas coisas que eu não gostei na edição foram as participações minúsculas da Magali e do Cascão. A Magali, então, se resumiu à cena do luau e à cena em que ela conversa com a Mônica (pela página de rosto, achava que ela ia ter uma participação maior). Até a Maria Cebolinha apareceu mais que ela! :P

Aliás, falando na Maria Cebolinha... por que essa MSP não faz logo a Turma da Maria Cebolinha Jovem? :v Sério, a pestinha mais fofa da TMJ (pode chorar, Dudu) teve uma ótima participação nessa edição, e sinceramente quero ver ela atazanando o resto da família, agora que o Cebola vai embora :/

E, falando nesse assunto... Bem, esse era o palpite de muita gente ao ler a sinopse na edição 100. Eu achava que seria difícil ele fazer um curso em outro país (afinal, a MSP tá fazendo o Chico voltar toda edição pra Vila Abobrinha, parece até que se arrependeram de tê-lo mandado pra faculdade), mas torcia muito pra que fosse isso. E, realmente, foi. Só espero que esses seis meses sejam pelo menos seis edições, porque se for apenas um quadrinho dizendo "Seis meses depois...", vai ser bem decepcionante.

Espero mesmo que mostrem o cotidiano do Cebola lá na Austrália, os novos amigos e tal, e também o cotidiano da família dele e da Mônica sem ele. Aliás, preciso muito da Petra fazendo uma edição desse tipo! :3

E, já tocando no assunto "roteiristas", espero mesmo que, quando o Cebola voltar, deixem o Flávio fazer mais edições focadas em Cebônica. Claro, não toda santa edição (ninguém aqui quer voltar pra 2013 :P), mas uma ou outra eu acho que seria legal, sim.

Enfim, essa história foi mesmo nota dez (ou, senão, quase)! :D Flávio mandou muito bem, e espero que ele escreva mais roteiros para a TMJ ;)

Bem, essa foi a resenha. Logo teremos a da edição #40 de Chico Bento Moço e (uma novidade!) das edições de janeiro da Turma da Mônica! =D