segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Preview da TMJ 88

Saiu o preview da TMJ 88 e fiquei um pouco decepcionado porque pelo jeito a edição vai ter foco no Cascão, que dos cinco protagonistas, é o que eu menos gosto.

E pelo menos teremos acompanhamento nas referências, porque eu sou nota zero nesse quesito, então acaba sendo bem melhor. Ah, e a história também terá o Do Contra (ou seja, ele já saiu do hospital mas já?) e o pai do Cascão, além de uma participação da avó do Cascão.

Sobre o "Na próxima edição..." eu taba morrendo de expectativas porque ia ser a saga da Penha, mas no fim acabou não sendo (ela vai sair só a partir da edição #90). Ah, pelo menos é uma edição da Petra! E Cascão e Magali são os protagonistas! \o/ Preferia que fosse só a Magali, mas anyway...


Só, pelamor, espero que não tenha Cagali nessa edição e never, please! Magali e Quim são ótimos juntos, e Cascão e Cascuda também. Se o Cascão é relaxado com a Cascuda, imaginem com a Magali, que não consegue cobrar do Quim! E para os que querem ainda Quim e Cascuda, imaginem: o coitado do Quim, com a Cascuda brigando! Era melhor os roteiristas focarem no amadurecimento dos quatro e esquecer de vez que já foi cogitado que Cascão e Magali poderiam ser um casal... Bom, essa é a minha opinião.

Confiram a sinopse:

"Quando um novo energético causa estranhos efeitos na Turma, Cascão e Magali se unem para resolver este mistério."

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

"O Caso dos 10 Porquinhos"

Post por: Arquivos Turma da Mônica

Dia 25 de novembro é o aniversário do Cascão. Em homenagem à data, mostro uma história que envolve um grande mistério que aconteceu em um aniversário dele. "O caso dos 10 porquinhos" tem 10 páginas e foi publicada em 'Cascão nº 42' (Ed. Globo, 1988).

Capa de 'Cascão nº 42' (Ed. Globo, 1988)

Começa com o narrador avisando que um suspense e mistério estava ocorrendo em uma terrível festinha de aniversário. Era o aniversário do Cascão e seus pais e os seus amigos estavam lá comemorando, no total de 10 pessoas. 

Então, o Cebolinha entrega ao aniversariante um presente em nome de todos, que foi uma vaquinha entre eles. Tratava-se de 10 estatuetas de porquinhos, que o Cascão adorou e colocou logo na cômoda para enfeitar.


Chega a hora de comer o bolo e o Cascão comenta com o Cebolinha que estava tão feliz que até participaria de um plano infalível contra a Mônica. Só que, foi apenas o Cascão fechar os olhos, que, de repente, Cebolinha some bem na sua frente, deixando o Cascão chateado porque o deixou falando sozinho. Enquanto procura, ele nota que um dos porquinhos que ganhou de presente havia sumido na mesma hora, começando o mistério.

Nessa hora, Mônica aparece e o Cascão fala que uma estatueta e o Cebolinha sumiram, e ainda fala demais que iam bolar um plano infalível contra ela. Mônica fica braba e quando ela ia bater nele, some também de repente e, ao mesmo tempo, outra estatueta some.


Magali e Anjinho também somem, junto com outras 2 estatuetas e, com isso, Cascão, que já estava preocupado, fica desesperado com esses misteriosos desaparecimentos. Então, ele encontra o Franjinha e conta o que estava acontecendo, e o Franjinha comenta que estava parecendo com a história do livro que leu, com a diferença que a cada estátua que sumia, uma pessoa era assassinada. Eles vão procurar a turma, mas quando o Cascão vai olhar que outra estátua sumiu, O Franjinha desaparece também. Nessa altura, só restavam 5 porquinhos na cômoda.


Cascão se desespera de vez e vai procurar seus pais e o Chovinista que sumiram também, restando só 2 estatuetas, representando ele e o Bidu, que se afasta por causa do cheiro do Cascão e acaba sumindo também, restando apenas o Cascão e uma estatueta na casa. Ele tem ideia de fugir, mas a chuva o impede e ele preferiu enfrentar o perigoso assassino a chuva.

Quando chora, raios lá fora e uma batida na porta dos fundos dão um ar mais aterrorizante à história e o Cascão pensa que é o assassino que vai pegá-lo. Fala que não vai ser pego sem luta e arruma uma vassoura pra enfrentar o assassino. Quando bate, viu que era o pai, só que estava todo branco, assim como sua mãe e todos os seus amigos que estavam juntos e o Cascão pensa que viraram fantasmas.


A partir daí, o mistério é desvendado. O fermento do bolo estava estragado e deu dor de barriga em todo mundo e todos que tinham que correr às pressas fazer fila no banheiro e o Cascão não os procurou lá. E as estatuetas sumiam porque o Chovinista pegava uma a uma com a intenção de quebrá-las porque estava com ciúmes.

Mistério resolvido, a festa continuou, mas Cascão e Cebolinha acabaram apanhando da Mônica no final pela tentativa de bolarem plano infalível contra ela, terminando assim a história incrível.


É uma história de qualidade, parodiando a história do livro "O Caso dos Dez Negrinhos", da inglesa Agatha Christie, contada ao modo da turminha. Legal o narrador no início recomendando que se a pessoa é sensível, que pule para a história seguinte, ou que evitem chiliques pra não atrapalhar quem está lendo. Uma boa sacada.

Os traços são excelentes, as expressões do Cascão emocionado ao ganhar o presente e ele desesperado são ótimas. Muito bom a hora em que o Cascão preferir ficar em casa, já que a chuva é mais aterrorizante do que um assassino. Muito engraçado. E adoro também o Cascão desesperado e falando sozinho. Histórias dos personagens falando sozinho costumava ser ótimas mesmo. Na postagem, coloquei a história completa.


Curiosamente, nessa história, o Cascão fazia aniversário em agosto, quando a revista foi lançada em 1988. Nessa época em que ela foi publicada, os personagens não tinham data de aniversário definida e em qualquer mês e edição podia sair história de aniversário, quando bem entendessem, já que histórias assim saiam só de vez em vez em quando e raro em histórias de abertura, como essa. Foi a partir de 1994 que os personagens ganharam uma data fixa de aniversário e, desde então, em todos os anos têm histórias de aniversário em seus respectivos meses. 

TMJ #88 e CBM #27

Durante essa semana a página oficial da TMJ postou as capas das edições do mês!

A do Chico Moço se chama O Irmão do Chico e é roteiro do Marcelo Cassaro (no CBM, ele fez as edições 17, 20, 21 e 24):


A da Turma Jovem tem o título Somos Todos Nerds e se passa na Comic Con, com o roteiro do Flávio Teixeira (na TMJ, ele fez as edições 1-4, a primeira e a última história da TMJ 5 e as edições 20, 21, 22 e 50):

domingo, 15 de novembro de 2015

Novas Graphics MSP! Astronauta III, Bidu 2 e Mônica

Hoje, Sidney Gusman revelou os teasers de três novas Graphics MSP! São elas Astronauta III por Danilo Beyruth, Bidu 2 por Eduardo Damasceno e Luís Felipe Garrocho e Mônica por Bianca Pinheiro! Elas e a do Papa-Capim por Marcela Godoy e Renato Guedes serão lançadas em 2016, não percam!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Turma da Mônica 85 & 86

Nesse post faço um breve comentário sobre a saga "A Estranha História de Sarah", lançada já há bastante tempinho (mais de um mês), mas que eu não podia deixar de comentar.

Na história, aparece uma garota nova, a Sarah, que tem poderes de premonição (e também vê mortos). Realmente, uma das melhores histórias da Petra.

Acho que o único defeito foi a personalidade da Denise, bem diferente das edições do Emerson. Quer dizer, acho que mesmo com todos os defeitos, ela não se aproveitaria de alguém sem nem dar sua parte. Pra alguém que já foi modelo, DJ, apresentadora de programa sertanejo, advogada (isso tudo com 6 anos) e empresária do Zé Beto e Crispiano (isso com 15), duvido que seja apenas uma garota fútil e fofoqueira (isso, ela era nos anos 90...).

Ah, também não gostei de a Magali e a Cascuda brigarem e do Cascão parecer interessado na Magali. Acho que vou fazer um escândalo se os dois (Cascão e Magali) ficarem juntos. Isso não pode acontecer, please! É Magali e Quim e Cascão e Cascuda, pô O.o

Anyway, gostei muito da história e do amadurecimento maior do Cebola (só não gostei de saber que eles têm só 15 anos, pra mim tinham uns 17... acompanhem meu raciocínio: na turminha, o Chico era apenas um ano mais velho; então, se ele tem 18, a Turma devia ter 17, porque eles já se encontraram duas vezes!), então, aqui vão minhas notas:

Roteiro: 9,7
Desenho: 9,4
Média Final: 9,6

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Chico Bento Moço 25 & 26

Aqui faço um breve comentário sobre a saga "Zona de Contágio", publicada em Chico Moço 25 e 26.

Uma ótima saga, uma das melhores histórias do Chico Moço, sério! Não gosto muito desse estilo (zumbis) e tal, mas foi uma boa história e conseguiu me cativar.

A morte da Sofia foi uma cena bem impactante e bem escrita. Não gostei muito de ela ter morrido, mas valeu pra mostrar que nem todos os finais são realmente felizes (ou são? Depois a Sofia reencontrou a mãe...). Além disso, temos a volta do Arawn Escuridão, que promete render muitas histórias no futuro. Quem sabe até uma supersaga em Chico Moço!

Sobre os desenhos, estão bons apenas os da Sofia, o pai, Escuridão e infectados, eu acho. Os outros, eu não gostei muito (apenas algumas partes, como aquela em que o Chico pega a chave do infectado). Então....

Roteiro: 9,5
Desenho: 8,0
Média Final: 8,8

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Almanaque Temático: Mauricio - com a Turma


Hoje eu venho falar sobre o Almanaque Temático: Mauricio - com a Turma, lançado em homenagem aos 80 anos do Mauricio de Sousa, republicando histórias com sua participação (ou uma ou outra com participação de roteiristas). Destas, destaco: "Um Aniversário Festejado", "Cadê a boca", "Sogros e Cunhados", "A Força da Mônica", "Os Solteiros", "Como surgem as histórias", "A Personagem Secundária" e "Rainha por um dia" (essa que eu considero a melhor história da Turma da Mônica, superando até a própria Umbra \o/).


Na história "Um Aniversário Festejado", Mauricio volta para casa depois de seu aniversário (na revista original, de 70 anos) e os personagens preparam uma festa surpresa para "ele". Porém, os primeiros que aparecem estão no traço dos anos 1960, e logo vão evoluindo até chegarem ao traço atual. É uma história boa.

Em "Cadê a boca", Magali acorda sem boca e tenta procurá-la junto com Mônica.

Em "Sogros e Cunhados", vários pais/irmãos de paqueras do Titi aparecem e o cumprimentam na frente da Aninha. A não ser que esses sogros, cunhados e paqueras sejam baseados em funcionários do estúdio, não entendi porque essa história foi republicada aqui, já que não vi o Mauricio em nenhum lugar...


Na história "A Força da Mônica", Mônica é chamada para resolver vários problemas relacionados à força, e depois no fim mostra o Mauricio carregando as sacolas na ida à feira dizendo que queria ser mais forte.

Em "Os Solteiros", são mostrados personagens do Mauricio que têm problemas quanto ao casamento, como Horácio, Piteco, Zecão e Astronauta. No fim, é mostrado o Mauricio com dificuldades em cuidar dos filhos (Marina, Mauricinho e Mauro) e lavar a louça.

Na história "Como surgem as histórias", é mostrado um roteirista tendo ideias para uma história ao ver situações do cotidiano.


Em "A Personagem Secundária", Denise vai reclamar do Mauricio por não ter tanto destaque nas histórias (essa história não seria publicada hoje em dia, não mesmo xD).

Na história "Rainha por um dia", Mauricio acaba ficando doente (ele é empacotado por um pacote de presentes e acaba ficando doente) e nomeia Mônica para ficar em seu lugar no estúdio, já que Alice está viajando. Com isso, Marina fica no lugar dela; Cebolinha entra para a equipe de roteiristas; Magali participa de uma reunião com empresários japoneses; Cascão cuida da arte-final; e o Rolo tenta desentalar o Jotalhão no banheiro. A história é toda muito boa, cheia de gags, e com a participação de várias pessoas do estúdio - destaco Emerson e Flávio.


Sempre gostei dessa história e é por isso que nomeei ela como a melhor história de toda a Turma da Mônica, superando até as da TMJ, como Umbra! \o/ Sério, eu adoraria escrever uma história dessas, com a turma cuidando do estúdio... #MelhorHistóriaEverRainhaPorUmDia

Ah, e pra quem estranhou o sumiço do Robson na história, tá aqui a explicação:

terça-feira, 3 de novembro de 2015

O Cascão sumiu

Pessoal! Desculpem a ausência, mas é porque desde o dia 27 (onde eu ia falar sobre a continuação do Príncipe Perfeito e sobre o aniversário do Mauricio) a internet estava meio bugada e eu não conseguia mexer no blog. Em "comemoração" a isso, publico aqui algumas tirinhas que saíram no começo de 1976, quando chuvas torrenciais atingiam São Paulo, e, com isso, o Cascão acabou sumindo e todos os personagens se uniram para procurá-lo. Aqui publicarei as primeiras cinco de 41 tiras, e nos próximos dias publicarei outras, ok?