quarta-feira, 23 de abril de 2014

Cebolinha nº88

Nesta edição, o Cebolinha fez as vezes de mestre-cuca para ajudar Dona Cebola. Foi muito legal. O Cebolinha viu que cozinhar era difícil, e não fácil, como ele imaginava. O menino não gostou nada de ter um osso saindo pela cabeça só para ajudar a mãe, que, pelo jeito, puxou as doideiras do filho. Essa Dona Cebola querendo ser dona da rua já havia aparecido em Coqueluche, história publicada no gibi Cebolinha #240, da Editora Globo. Naquela história, ela vendia cachecóis, enquanto nessa, vende quitutes. Minha filha, vai pedir a ajuda da tia Nena!


Nessa história, visivelmente escrita pelo Emerson Abreu (por causa das gagsquadrinhos de faixa inteirahistória longahumor exageradocaretasCarmem da Esquinagrande confusãoestressedivisão em partes...), Dona Cebola decide servir um angu uma canjica para a Associação das Tiazinhas Politicamente Corretas do Bairro do Limoeiro, que já apareceram em várias histórias (tipo Cascão #09 - O mistério do personagem que lavou as mãos), sempre reclamando da indiscrição das personagens. Nessa história, foi revelado que a Carmem da Esquina é a presidenta da associação.


No meio da história, Seu Cebola, Mônica e Cebolinha decidem fazer a melhor canjica do mundo, para substituir o angu a canjica de Dona Cebola. Interessante eles colocarem feijão, pasta de dente, sabão em pó, cereais, bombons e misturar com uma canjica qualquer e ainda ficar bom! É, em histórias em quadrinhos tudo pode acontecer... A Associação das Tiazinhas Politicamente Corretas do Bairro do Limoeiro deu quase uma linha inteira pra escrever o nome dessa associação se deu mal e teve que fugir com o rabo entre as pernas, ou melhor, com o sabão em pó entre os intestinos.


Ficou muito legal essa edição, o Emerson caprichou bastante juuuura? e a história do Mestre-Cuca foi a mais legal do gibi. O resto fica só em histórias cotidianas e um pouquinho tediosas. Por isso, eu digo: os melhores gibis, atualmente, são os Clássicos do Cinema. Esse mês vai ter um novo, só não sei de que tema. O do bimestre passado, King Gong, ficou bem legal e espero que caprichem nesse também.