quarta-feira, 23 de abril de 2014

Cebolinha nº88

Nesta edição, o Cebolinha fez as vezes de mestre-cuca para ajudar Dona Cebola. Foi muito legal. O Cebolinha viu que cozinhar era difícil, e não fácil, como ele imaginava. O menino não gostou nada de ter um osso saindo pela cabeça só para ajudar a mãe, que, pelo jeito, puxou as doideiras do filho. Essa Dona Cebola querendo ser dona da rua já havia aparecido em Coqueluche, história publicada no gibi Cebolinha #240, da Editora Globo. Naquela história, ela vendia cachecóis, enquanto nessa, vende quitutes. Minha filha, vai pedir a ajuda da tia Nena!


Nessa história, visivelmente escrita pelo Emerson Abreu (por causa das gagsquadrinhos de faixa inteirahistória longahumor exageradocaretasCarmem da Esquinagrande confusãoestressedivisão em partes...), Dona Cebola decide servir um angu uma canjica para a Associação das Tiazinhas Politicamente Corretas do Bairro do Limoeiro, que já apareceram em várias histórias (tipo Cascão #09 - O mistério do personagem que lavou as mãos), sempre reclamando da indiscrição das personagens. Nessa história, foi revelado que a Carmem da Esquina é a presidenta da associação.


No meio da história, Seu Cebola, Mônica e Cebolinha decidem fazer a melhor canjica do mundo, para substituir o angu a canjica de Dona Cebola. Interessante eles colocarem feijão, pasta de dente, sabão em pó, cereais, bombons e misturar com uma canjica qualquer e ainda ficar bom! É, em histórias em quadrinhos tudo pode acontecer... A Associação das Tiazinhas Politicamente Corretas do Bairro do Limoeiro deu quase uma linha inteira pra escrever o nome dessa associação se deu mal e teve que fugir com o rabo entre as pernas, ou melhor, com o sabão em pó entre os intestinos.


Ficou muito legal essa edição, o Emerson caprichou bastante juuuura? e a história do Mestre-Cuca foi a mais legal do gibi. O resto fica só em histórias cotidianas e um pouquinho tediosas. Por isso, eu digo: os melhores gibis, atualmente, são os Clássicos do Cinema. Esse mês vai ter um novo, só não sei de que tema. O do bimestre passado, King Gong, ficou bem legal e espero que caprichem nesse também.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Chico Bento Moço nº8

Essa edição foi muito boa. Começo a crítica falando de algo que me intrigou: só agora a TMJ começa a seguir um "padrão" nas histórias, por exemplo, uma tem tudo a ver com a outra. Antes disso, só da Turma da Mônica Jovem #34 até a Turma da Mônica Jovem #36, onde em todas essas só se comentava o namoro da Mônica. Claro que depois teve umas histórias de romance ainda, mas nenhuma teve uma ligação explícita com a TMJ #34. Bom, continuando, na CBM esse negócio da Geada já tinha sido falado no Chico Bento Moço #06 - Mudanças, antes de começar a história da mudança de república.


O bom é que essa edição já teve um gatilho, como falei, na Chico Moço #06. Por falar nessa edição, foi bem legal o Jura aparecer. Faz já um tempinho, né? Vai ser chato ficar sem ele, Jácomo e Lee. Bom, quando eu vi a sinopse “[...] que vai mudar a vida da família Bento. O que será?”, eu achei que ia ser sobre a Vó Dita. Sorte que não, eu adoro essa velha! Foi eles ganharem o pano especial e ficarem com uma condição de vida melhor. Eu adorei essa edição!


Bom, agora, finalmente falo da Aurora. Quando a vi na capa, achei que era a geada, e quando vi a quarta capa, achei que eram as mesmas pessoas. Pode?! Muita gente achou que era a Mariana. Eu, desde o início, fiquei contrariado. Afinal, a Mariana era um bebê e ficaria, mesmo crescida, um pouco mais nova do que a Aurora. Os pais do Chico Bento são os meus pais favoritos da turma!!


E, na próxima edição, Chico e seus amigos vão cair no Pantanal. What?! Bom, não sei se deu pra lembrar, mas o Chico é Protetor das Nascentes do Pantanal. Será que vai fazer uma menção?

“Chico e alguns colegas vão de avião fazer aulas externas, e eis que o inesperado acontece: eles caem no Pantanal Mato-Grossense. Será que todos vão sobreviver? Como conseguir água e comida?”

terça-feira, 8 de abril de 2014

Turma da Mônica Jovem nº68

Vou começar falando da capa. Ficou... mais ou menos. Se fosse pra dar uma nota, seria 7,0. Sei lá, acho que deveria ter a Elzira e o Cebola. Se bem que combinou com a 4ª capa, que eu daria um 8,0, porque ficou meio... "estranha" demais. Afinal, o Cebola não estava sozinho na casa e dava uma impressão diferente da história. Parecia que eles estariam separados (tipo, cada um por si).


Agora, uma coisa: a Elzira não era a Bruxa Viviane? Fala sério! As duas eram iguais! E até o Do Contra disse: "Em filmes de terror não há coincidências!", não é? Pareceu estranho... Além do mais, só a Bruxa Viviane para aceitar um jovem de 16 anos e sua "trupe" num reality show de terror. Ela e o Louco, né?


Por falar em Louco, eu ainda não entendo ele ser o diretor do colégio. Afinal, no curta Diga sim à vida, a diretora era uma mulher. E bem diferente do Licurgo. Será que o curta se passa em um universo paralelo? Afinal, só o Licurgo mesmo para deixar a turma fazer uma excursão ao planeta Marte - vide Turma da Mônica Jovem #06 - O Brilho de um Pulsar (Parte 1) -, não é? Só não entendo também como eles iam fazer uma chuva cenográfica tão perfeita... repito: Elzira, você não é mesmo a Bruxa Viviane?!


E não dava pra deixar de comentar o mastersuperhipermega da edição: o beijo da Mônica e DC! Eu sou totalmente MôXCê, mas achei muito bom por causa da inovação e pro Cebola se tocar de uma vez. Só duas coisas... 1) Quando começou o clima de Mônica e DC? Resposta: Turma da Mônica Jovem Especial #1 - O Segredo do Acampamento, quando DC vai pegar a bola de Mônica. 2) Quando o Cebola ficou esse bobão? Resposta: Turma da Mônica Jovem #43 - Tesouro Verde (Parte 1). Oi? Vocês não acham? Acham que foi na #34? Mas não foi!! Após isso, ele deu muitas provas de amor para a Mônica. Se sacrificou por uma Mônica falsa (Jogo dos Reis), não lutou contra uma Mônica falsa porque amava ela (Torneio de Games). Vocês acham que ele não faria isso pela Mônica verdadeira? Faria!! Só uma coisa: não estou tentando fazer ninguém mudar de opinião, só expressando a minha.


Além do mais, o Cebola, na turminha criança, xingava a Mônica, fazia planos infalíveis, roubava o coelhinho... Mas por quê? Para chamar sua atenção. Na Turma da Mônica #63 - O namorado da Mônica, quando um plano infalível falha, Cebolinha vai até a casa da Mônica e pede desculpas. O que ela faz? Dá um beijo na bochecha dele. No fim da história, o que acontece? Ele diz que o plano deu, sim, celto. Agora, por que ele faz isso? Pelo mesmo motivo. Claro, ele tem um grande defeito: acha que tudo dará certo. Agora, se ele lembra da Turma Jovem #48 - A invasão dos robôs-zumbis, com certeza, na próxima edição, dará um jeito de ficar com a Mônica. Será?

"Mônica e Cebola estão destinados um ao outro? Será mesmo? Do Contra surge como um grande rival pelo amor da Mônica. Quem ela vai escolher como namorado?" E aí? Qual é o escolhido?!